sexta-feira, 21 de setembro de 2012

VIVA Á REVOLUÇÃO FARROUPILHA


REVOLUÇÃO FARROUPILHA

FATORES EXTERNOS:
- A PROVÍNCIA DO Rio Grande do Sul fazia fronteira com as regiões recém-libertas da Espanha, que tinham como governo estabelecido uma REPÚBLICA.

FATORES INTERNOS:
- Por ser uma região que fazia fronteira com as antigas colônias espanholas, era uma região que sempre foi comandada por CHEFES MILITARES, que ganhavam essas terras por meio de concessão do governo onde deveriam protegê-las.



- Era uma região com grandes fazendas, mas onde não eram produzidos nenhum tipo de alimento específicos para comércio externo, como o CAFÉ em SÃO PAULO e o AÇUCAR em PERNAMBUCO. Havia um grande comércio de Charque, mas somente no mercado interno, devido também e principalmente aos altos impostos do IMPÉRIO BRASILEIRO.




Ao longo da história econômica da região sul, a pecuária tornou-se um dos principais focos da economia gaúcha. Ao longo do processo de diversificação das atividades econômicas do país, os estancieiros (fazendeiros) sulistas tornaram-se os principais produtores de charque do Brasil. Esse produto, devido sua importância nos hábitos alimentares da população e seu longo período de conservação, articulava a economia agropecuária sulista com as regiões Sudeste e Centro-oeste do país.

Durante o Primeiro Reinado e Regência, vários impostos impediam a ampliação dos lucros dos fazendeiros sulistas em consequência do encarecimento do preço final do charque gaúcho.

O INÍCIO DA REVOLUÇÃO

LENÇO FARROUPILHA

Em 20 de setembro de 1835, inconformados com o descaso das autoridades imperiais, um grupo liderado por Bento Gonçalves exigiu a renúncia do presidente da província do Rio Grande do Sul, e foi escolhido como Presidente da Província Marciano Pereira Ribeiro, e como comandante das armas, Bento Manuel Ribeiro.



A BATALHA DO SEIVAL
A BATALHA DO SEIVAL foi um conflito militar que “INICIOU” a proclamação da República Rio-Grandense por ANTÔNIO DE SOUSA NETO. O embate deu-se nos campos dos Meneses, CRUZANDO OS CAMPOS DO SEIVAL.
A PRIMEIRA BRIGADA DO COMANDANTE NETO, com 400 HOMENS, 

encontrou as tropas de Silva Tavares sobre uma coxilha, COM 560 HOMENS.



VÍDEO DA BATALHA DO SEIVAL
“CERTAMENTE SEREI CENSURADO POR ESSA FORMA DE ORGULHO, MAS SE TIVEREM QUE ME CENSURAR POR ALGUMA COISA, QUE ME CENSUREM PELO ORGULHO” (Comandante Netto).

O RESULTADO DESTE CONFLITO FOI, ficarem os revoltosos quase intactos, enquanto houve 180 mortos, 63 feridos e 100 prisioneiros do lado dos imperiais.

NEGROS LANCEIROS

ERAM NEGROS
CAMPEIROS, DOMADORES, CHARQUEADORES, TROPEIROS de Pelotas e Piratini
ELES SE INTITULAVAM OS FILHOS DA LIBERDADE
e eram EXCELENTES GUERREIROS na época não usavam escudo e sim um poncho um tipo de vestimenta de Gaúcho que e tipo uma capa pra dia frio e de chuva.
Eram bons de boleadeiras uma arma usada pra caçar, que era um laço com duas bolas na ponta


Eram rústicos e disciplinados. FAZIAM A GUERRA À BASE DE RECURSOS LOCAIS, COMIAM SE HOUVESSE ALIMENTO E DORMIAM EM QUALQUER LOCAL, TENDO COMO TETO O FIRMAMENTO DO RIO GRANDE DO SUL e de Santa Catarina
A maioria montava a cavalo quase que em pêlo, a moda charrua.
Seu vestuário era constituído de sandálias de couro cru, um colete recobrindo o tronco e na cabeça uma vincha vermelha símbolo de República.
Os Corpos de Lanceiros Negros conquistaram a Liberdade, lutando pela República Rio-Grandense nos campos de batalha. 


Após o final da Revolução Farroupilha o Império respeitou suas liberdades pela cláusula IV da Paz de Ponche Verde. “São livres e como tais reconhecidos todos os cativos que serviram à República".


Eram armados também com adaga ou facão e, em certos casos, algumas armas de fogo em determinadas ocasiões.
Como lanceiros não fizeram uso de escudos de proteção, tão comuns na História Militar dos povos.
Os seus grosseiros ponchos de lã – bicharás, serviram-lhes de cama, cobertor e proteção do frio e da chuva.
Quando em combate a cavalo, enrolado no braço esquerdo, o poncho (bichará) servia-lhes para amortecer ou desviar um golpe de lança ou espada.
No corpo a corpo desmontado, servia para aparar ou desviar um golpe de adaga ou espada em cuja esgrima eram habilíssimos, em decorrência da prática continuada do jogo do talho, nome dado pelo gaúcho à esgrima simulada com faca, adaga ou facão.

VÍDEO COM MÚSICA EM HOMENAGEM AOS LANCEIROS NEGROS
Alguns poucos eram hábeis no uso das boleadeiras como arma de guerra, principalmente para abater o inimigo longe do alcance de sua lança, quer em fuga, quer manobrando para obter melhor posição tática.

A DECLARAÇÃO DA INDEPENDÊNCIA SUL RIO-GRANDENSE
Com a vitória na BATALHA DO SEIVAL os farroupilhas comemoraram vibrantemente a vitória. Cresceu a vontade separatista de conquistar e manter um país rio-grandense independente, entre as nações do mundo”.

A 29 de agosto de 1838 lança seu mais importante manifesto aos rio-grandenses onde justifica as irreversíveis decisões tomadas em favor da libertação do seu povo:

"Toma na extensa escala dos estados soberanos o lugar que lhe compete pela suficiência de seus recursos, civilização e naturais riquezas que lhe asseguram o exercício pleno e inteiro de sua independência, eminente soberania e domínio, sem sujeição ou sacrifício da mais pequena parte desta mesma independência ou soberania a outra nação, governo ou potência estranha qualquer. Faz neste momento o que fizeram tantos outros povos por iguais motivos, em circunstâncias idênticas".

GIUSEPPE GARIBALDI
(Nice, 4 de julho de 1807 — Caprera, 2 de junho de 1882) 
Foi alcunhado de "HERÓI DE DOIS MUNDOS"

“EM FEVEREIRO DE 1834 tomou parte da fracassada insurreição de Gênova, SENDO CONDENADO À MORTE por uma corte genovesa. REFUGIOU-SE EM MARSELHA E, EM 1835, FUGIU PARA A TUNÍSIA, CHEGANDO DEPOIS AO RIO DE JANEIRO. Com 28 anos iniciava seu primeiro exílio”.

Eu vi corpos de tropas mais numerosas, batalhas mais disputadas, mas nunca vi, em nenhuma parte, homens mais valentes, nem cavaleiros mais brilhantes que os da bela cavalaria rio-grandense, em cujas fileiras aprendi a desprezar o perigo e combater dignamente pela causa sagrada das nações.

Quantas vezes fui tentado a patentear ao mundo os feitos assombrosos que vi realizar por essa viril e destemida gente, que sustentou, por mais de nove anos contra um poderoso império, a mais encarniçada e gloriosa luta!



O FIM DA REVOLUÇÃO FARROUPILHA
EM 1844, DEPOIS DA DERROTA FARROUPILHA NA BATALHA DE PORONGOS, UM GRUPO DE LÍDERES SEPARATISTAS FOI ENVIADO À CAPITAL FEDERAL PARA DAR INÍCIO ÀS NEGOCIAÇÕES DE PAZ. Após várias reuniões, estabeleceram os termos do Convênio do Ponche Verde, EM MARÇO DE 1845. COM A ASSINATURA DO ACORDO FOI CONCEDIDA ANISTIA GERAL AOS REVOLTOSOS, o saneamento das dívidas dos governos revolucionários e a libertação dos escravos que participaram da revolução.

O LEGADO DA REVOLUÇÃO FARROUPILHA
O Principal legado da REVOLUÇÃO FARROUPILHA foi o Regionalismo, ou melhor, Patriotismo por sua terra, por seu Estado-nação, que envolve e transforma e influencia todas as áreas e todas as pessoas, repassando  de geração em geração um sentimento que jamais acabará ou se renegará.


A HISTÓRIA DO HINO DO RIO GRANDE DO SUL


Dizendo: “QUE SIRVAM NOSSAS FAÇANHAS DE MODELO Á TODA TERRA”, isso é algo atrevido, mas que faz parte da nossa Cultura...
“Ele não é um hino de louvação á terra, ele é uma marcha, uma marcha heroica”
(Moacyr Flores – Historiador Gaúcho)

“faltava algo que traduzisse esse engajamento entusiástico da causa FARROUPILHA, a BANDEIRA, o BRASÃO, o HINO, para caracterizar uma unidade política, de soberania principalmente...
(Emiliano Limberger – Historiador Gaúcho)

“ele é um Hino de registro que vai ficar como um documento histórico unicamente e o seu efeito vai ser mais para as gerações futuras...
“...Não se trata mais daquela questão histórica da Revolução Farroupilha, o gauchismo é uma cultura pós-Moderna, ela é uma construção da indústria cultural baseado fundamentalmente, na imagem, nos seus rituais e na sua trilha sonora, e a sua trilha sonora mais expressiva é o HINO RIO-GRANDENSE...” (Tau Golin – Historiador Gaúcho)



“...Eu sou apaixonado por esse hino, me emociono cada vez que ouço (Antônio Borges-Cunha – Maestro gaúcho)




“...O Mendanha compõe um Hino que passa a representar POR TODO O SEMPRE a alma Rio-Grandense...” (Celso Loureiro Chaves – Músico Gaúcho).

MAESTRO JOSÉ JOAQUIM DE MENDANHA


VÍDEO DA RBS CONTANDO A HISTÓRIA DA CRIAÇÃO DO HINO DO RIO GRANDE DO SUL


HINO DO RIO GRANDE DO SUL


TORCIDA DO INTERNACIONAL CANTANDO O HINO DO RIO GRANDE DO SUL NO ESTÁDIO GIGANTE DA BEIRA RIO


TORCIDA DO GRÊMIO CANTANDO O HINO DO RIO GRANDE DO SUL NO ESTÁDIO OLÍMPICO DE PORTO ALEGRE

"Essa é uma pequena homenagem de um Professor de História PAULISTANO á todos os RIO-GRANDENSES DO SUL, que mesmo com todos os conflitos e desavenças históricos construídos ao longo dos tempos entre as nossas "Terras", não Corrobora com isso , reconhece toda a importância Cultural da REVOLUÇÃO FARROUPILHA e entende sobretudo a importância de toda Cultura do Estado do Rio Grande do Sul assim como todos os aspectos que a constituem.
Parabéns!

"O MEU OBRIGADO ESPECIAL Á DUAS AMIGAS GAÚCHAS QUE ME AJUDARAM NA TRANSFORMAÇÃO DESSE POST. 
Mari Paines
Leila D'Avila
UM FORTE ABRAÇO MINHAS CARAS E QUE CONTINUEM SERVINDO NOSSAS FAÇANHAS DE MODELO Á TODA TERRA" 

Prof. Eliandro.




quinta-feira, 19 de julho de 2012

Dna Belmira Marin e José Maria Marin - A Família Marin Roubando A cena

TODOS SABEM QUE UMA DE NOSSAS PRINCIPAIS AVENIDAS DA ZONA SUL "AVENIDA DNA. BELMIRA MARIN", além de ser um dos poucos acessos ao GRAJAÚ é um dos lugares onde há mais trânsito concentrado em SÃO PAULO... 

mas o que poucos sabem é... 
 QUEM FOI a Dna Belmira Marin, tão xingada por todos os que passam na Avenida que empresta seu nome?...
Dna BELMIRA MARIN foi a mãe de José Maria Marin...

“VÍDEO MOSTRANDO um pouco da Av. Belmira Marin”

José María Marín iniciou sua carreira política na década de 1960 como vereador em São Paulo, filiado ao Partido de Representação Popular, fundado pelo integralista Plínio Salgado. Foi presidente da Câmara Municipal de São Paulo em 1969.

Na década seguinte, Marín foi deputado estadual pela ARENA. Em 1978 elegeu-se vice-governador e entre 1982 e 1983 exerceu o cargo de governador por dez meses, em virtude da desincompatibilização de Paulo Maluf – o qual iria disputar uma vaga de deputado federal. Como governador, deu continuidade ao plano de governo de Maluf (como o prosseguimento do projeto energético do estado, inaugurando hidrelétricas no interior) e assinou a extinção do DOPS paulista, órgão de repressão policial da ditadura militar
“A Medalha da Desonra”
Em 25 de janeiro de 2012, durante a premiação após o jogo final da Copa São Paulo de Futebol Junior, vencida pelo S.C.Corinthians Paulista, no Estádio Paulo Machado de Carvalho, o ex-governador Marin, "disfarçadamente", embolsou uma das medalhas que seria entregue ao jogador Mateus do Corinthians. O ato foi flagrado e exibido ao vivo em rede nacional pelas câmeras da Rede Bandeirantes de Televisão. O episódio causou revolta e foi muito comentado nas redes sociais



VÍDEO MOSTRANDO O “Embolso “ da Medalha”

"o Jornalista e Comentarista esportivo da Gazeta e da Rádio Jovem Pan Flávio Prado falando sobre o “Embolso “ da Medalha

"Esta postagem foi sobre dica e recomendação do Professor de História do Estado de São Paulo Humberto Góes
Prof. Eliandro




sexta-feira, 13 de julho de 2012

SEXTA FEIRA 13

...Você acredita em superstições?... Eis aqui uma das mais comentadas em todas as épocas e em diferentes lugares:
A Temida Sexta feira 13... 
Mas, assim como tudo que existe na vida e na história, há um motivo e um lugar aonde tudo começou... 

...vamos então citar um fato histórico demasiadamente importante para o desenvolvimento da Sociedade Ocidental...

e como nos velhos e bons tempos, comecemos com...

Era uma vez na Idade Média...
A ORDEM DOS CAVALEIROS TEMPLÁRIOS:
Também chamada de Pobres Cavaleiros de Cristo e do Templo de Salomão, esta Ordem foi fundada em 12 de junho de 1118 em Jerusalém por Hugo de Payens, Cavaleiro de Burgúndia, e Godofredo de Saint Omer.
TEMPLÁRIOS: “NON NOBIS DOMINE, NON NOBIS, SED NOMINI TUO DA GLORIAM” “Não por nós Senhor, não por nós, mas pAra a glória do teu nome”
Com o passar dos anos a Ordem tornou-se poderosamente rica, credora do Papa e da corte da França, suas posses passaram a ser avidamente cobiçadas. Felipe IV, o Belo, necessitava prementemente de dinheiro e depois de haver confiscado os haveres dos banqueiros lombardos e judeus e tê-los expulso do país, volveu suas gulosas vistas para os Templários.
 
...numa sexta-feira, 13 de outubro de 1307, mandou prender todos os Templários da França e o seu Grão-Mestre, Jacques DeMolay, os quais, submetidos à Inquisição, foram por esta, acusados de hereges. Por meio de inomináveis torturas físicas, infligidas a ferro e fogo, foram arrancadas desses infelizes as mais, contraditórias confissões.
o Grão-Mestre do Templo, Jacques DeMolay, e Godofredo de Charney, preceptor da Normandia, foram publicamente queimados no pelourinho diante da catedral de Notre Dame, ante a turba, como hereges impenitentes.
Palavras de GODOFREDO: "Estou orgulhoso de ter lutado ao lado de vocês, que Deus cuide de sua alma e distribuir justiça a todos os Templários"
Diz-se que o Grão-Mestre, ao ser envolto e devorado pela pira, ele voltou a cabeça em direção ao local onde se encontrava o rei e imprecou:
"Papa Clemente, cavaleiro Guilherme de Nogaret, Rei Felipe... Convoco-os ao Tribunal dos Céus antes que termine o ano, para recebam vosso justo castigo. Malditos... Malditos... Malditos... Sereis malditos até treze gerações...". E de fato, antes de decorridos doze meses, ambos os intimados estavam mortos.
 
"Quer saber mais sobre os CAVALEIROS TEMPLÁRIOS?... Quer se tornar um Cavaleiro Templário?...
Saiba mais acessando os LINKS a baixo:




Prof. Eliandro.




terça-feira, 31 de janeiro de 2012

A Ágora aqui no Brasil? O Movimento vem como o troco "Na Mesma Moeda"!

Prof. Eliandro
No Brasil um Movimento chamado “Na Mesma Moeda”,incentivou e influenciou  motoristas de diversos Estados contra o aumento do preço do combustível, estes combinaram as manifestações via Facebook.

Abasteciam apenas R$ 0,50, pediam o teste de qualidade, pagavam no cartão de crédito e exigiam a nota fiscal.


Mostrando mais uma vez a força que tem o povo quando se organiza, se mobiliza e reivindica seus direitos. O governo é o povo, ou deveria ser, então filosoficamente dizendo, ataquemo-nos com movimentos bruscos e contestadores, vamos jogar pedras nos telhados do governo, vamos ser chatos ao extremo, mas vamos nos virar e revirar, pois nosso corpo ja cansado necessita de movimento, e nossa alma ja imunda pelo veneno midiático absolvido em longos anos de acomodação e alienação, começa a se ridicularizar consigo mesma, e pois bem, esse ja é um bom começo.




GOIÂNIA

BELO HORIZONTE (REDE RECORD)

BELO HORIZONTE (REDE GLOBO)

SALVADOR

BLUMENAU

BRASÍLIA

CAMPO GRANDE - MATO GROSSO DO SUL

LONDRINA


terça-feira, 24 de janeiro de 2012

Texto-Carta em Homenagem à Bedky Hendrick e Amanda de Souza

Bedky Hendrick  
Este texto-carta é uma homenagem à duas pessoas que em momentos e de formas diferentes, fizeram com que eu metamorfoseasse as palavras nele contido. A primeira delas é uma aluna do Ensino Médio que leva o codinome de Bedky Hendrick , e que fez um comentário ao meu respeito em uma das redes sociais, no qual me fez esquecer o turbilhão de problemas que estava passando por mim, e em seguida fez alguns comentários à respeito de situações problemáticas que estavam ocorrendo com ela. 

Amanda de Souza  
A outra pessoa é Amanda de Souza, uma moça muito inteligente que "conheci" nas redes sociais , que escreve textos ótimos e faz comentários melhores ainda, e que colocou um post em seu Blog na última sexta feira dia 20 de janeiro entitulado "Enfim..." no qual eu me vi em situações parecidas em muitos momentos da minha "História".

"Já fiz muitas coisas na vida com a intenção de mostrar aqueles que duvidavam da minha capacidade que eu conseguia superar as suas expectativas, consegui a maioria das coisas e isso me fez bem por algum tempo...
... Houve outra época em que eu fazia as coisas para mostrar às pessoas que eu as amava e que conseguia alcançar os objetivos que elas esperavam que eu alcançasse , consegui alguns, e isso também foi significativo por algum tempo...
 ...HOJE, depois de um longo processo de auto-questionamento, de auto-avaliação e de relações sociais e pessoais, FAÇO as coisas para sentir orgulho de mim mesmo, me sentir alegre, completo e realizado...

... em todas essas fases, tropecei, corrigi erros, alcancei objetivos, sofri muito, chorei bastante, me diverti com a mesma intensidade, aprendi a dar valor às minhas coisas materiais da mesma forma que dou valor à minha família... todas essas fases foram importantes para mim em determinadetapas da minha caminhada...
 ... hoje tento controlar minhas ações em doses homeopáticas e manipuladas, coloco uma dose de atenção e concentração, outra dose de controle, uma boa dose de loucura, amor e desejo, transformação e principalmente RENOVAÇÃO...

"SEJA BOM AO SEU GOSTO, ASSIM CONSEGUIRÁ SER COMPETENTE NAS SUAS AÇÕES E REALIZADO NAS SUAS AMBIÇÕES"
... E que todo instante seja único e inigualável, pois o Momento é algo único, imutável, e simples como a maioria das coisas boas...


E não existe verdade que dure mais do que um momento, o momento da réplica de uma discussão, nem mentira que dure uma eternidade, eternidade de seu travesseiro.

Agora ofereço uma música linda e mágica em nossa homenagem que, como andam dizendo por aí, "nem somos lá essas coisas todas"... Ainda bem, pois ja da trabalho demais ser bom para aqueles que nos merecem... sei lá, deve ser assim mesmo e tal...
O Teatro Mágico – Eu Nem Sei Na Verdade Quem Eu Sou


Prof. Eliandro.