domingo, 15 de setembro de 2013

1ª GUERRA MUNDIAL (1914-1918)

CONDIÇÕES PARA UMA GUERRA
DESENVOLVIMENTO AMPLO NA TECNOLOGIA DAS DIVERSAS ÁREAS INDUSTRIAIS.

ACÚMULO DE RIQUEZAS E DE PODER ENTRE AS GRANDES POTÊNCIAS DA EUROPA.

SUPERPRODUÇÃO – NECESSIDADE DE NOVAS FONTES DE MATÉRIA PRIMA E  DE NOVOS CLIENTES.

DISPUTA ENTRE AS GRANDES POTÊNCIAS – ALIANÇAS E ACORDOS DE PROTEÇÃO.

A BELLE EPÓQUE
A BÉLLE ÉPOQUE FOI O PERÍODO PÓS-REVOLUÇÃO INDUSTRIAL, que aconteceu aproximadamente entre os anos de 1880 ATÉ 1913.

Esse período foi marcado pelo DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO, pelo PROGRESSO INDUSTRIAL, pelo AVANÇO DO CAPITALISMO que causaram um grande impacto no cotidiano das pessoas da Europa e deixaram bem claro a DIVISÃO ENTRE MUITO RICOS E MISERÁVEIS.

Enquanto alguns privilegiados desfrutavam do luxo adquirido através do suor e do trabalho intenso, outros europeus enfrentavam grandes dificuldades vivendo em condições sub-humanas e até mesmo na miséria.

TRÍPLICE ALIANÇA 

TRÍPLICE ENTENTE
“NACIONALIMO E PATRIOTISMO: foram as propagandas e a justificativa para o investimento na INDÚSTRIA BÉLICA ”.


O ESTOPIM PARA O INÍCIO DA GUERRA
No dia 28 de Junho de 1914 em SARAJEVO NA SÉRVIA, o HERDEIRO DO IMPÉRIO ÁUSTRO-HÚNGAARO FRANCISCO FERDINANDO, em visita ao país, foi assassinado por um jovem nacionalista.
FRANCISCO FERDINANDO DESEJAVA ASSUMIR O TRONO E RECONHECER AS NAÇÕES ESLAVAS COMO TERCEIRO PARCEIRO DO IMPÉRIO AUSTRO-HÚNGARO. A ideia ia de desencontro com os interesses sérvios que queriam a independência e formar a Grande Sérvia.  

Esse episódio levou com que os russos se posicionassem a favor dos sérvios mobilizando tropas militares.


A ALEMANHA logo declarou guerra a RÚSSIA.


A PROPAGANDA á GUERRA
Foi a partir da Revolução Industrial que os governos perceberam a força que a mídia tinha de convencer as pessoas á uma certa ideia.
Na 1ª Grande Guerra a Propaganda foi usada para manipular e convencer as pessoas á participar de uma guerra que não era interessante á eles, pois os seus próprios governos os submetiam á estados de miséria.

UMA GUERRA DE INDÚSTRIAS E TRINCHEIRAS
A 1ª Grande Guerra ficou marcada por alguns aspectos, o primeiro é o aprimoramento das máquinas e da tecnologia e seu uso para atacar outras nações.

Outro aspecto importante foi a construção de trincheiras, que eram valas enormes onde os soldados se instalavam para melhor se proteger de ataques, mas o uso das trincheiras tornou a guerra muito lenta. 

Muitos soldados morreram loucos, pois passavam meses nas trincheiras com fome, frio e depressão, outros deles “rezavam” para haver combate em seus fronts para que houvesse atividade ou morreriam de tédio.
Em algumas trincheiras acontecia uma vida á parte, muitos soldados passavam o tempo lendo livros, escrevendo em livretos que se tornariam diários, isso era uma forma de viver em um lugar onde a morte poderia chegar a qualquer momento.


A ALEMANHA APRESENTA SEUS "BRINQUEDINHOS"

 Muitos historiadores afirmam que se não tivesse acontecido o assassinato de FRANCISCO FERDINANDO, a Alemanha "arranjaria" outro motivo para iniciar uma guerra e isso se comprova devido as armas apresentadas por ela no começo de guerra. 
O Primeiro "BRINQUEDINHO" apresentado pela ALEMANHA na primeira Grande Guerra foi o SUB-MARINO.
A criação do Sub-marino tinha uma função específica e extremamente estratégica, atacar a poderosa frota militar naval da Inglaterra.

O AVIÃO também foi uma arma poderosíssima que os alemães criaram a partir dos projetos de Santos Dumont

Os Alemães apresentaram também os TANQUES DE GUERRA que, além de ser uma fortaleza de rodas, levavam vários soldados de uma só vez.
A tecnologia e a ciência não eram usadas somente para CRIAR ARMAMENTOS PARA A GUERRA, mas para RECRIAR.
A Inglaterra principalmente, recolhia tanques de guerra alemães que eram deixados no caminho e os entregava para que seus cientistas os recriassem
Podemos ver nos dias atuais, os CARROS FORTES que transportam dinheiro dos bancos e o CAVEIRÃO da polícia militar do Rio de Janeiro.


A VITÓRIA NAS MÃOS DA ALEMANHA
A vitória, a princípio, tendia para o lado alemão, que demonstravam superioridade militar e avançavam sob as tropas francesas em terra.



Os ingleses apresentavam uma grande ofensiva no mar, mas tiveram muito trabalho diante do ataque dos submarinos à marinha mercante, o que causava grandes danos a população civil europeia. 

Outra tática eram os ataques aéreos que surpreendiam com bombardeios em terra.



A REVIRAVOLTA
A vitória estava quase assegurada, mas alguns fatores favoreceram para a sua derrota.
Em 1917 A RÚSSIA saiu da guerra, pois internamente tinha que resolver uma crise que geraria a REVOLUÇÃO SOVIÉTICA RUSSA.
Os ESTADOS UNIDOS entraram na guerra sobre o pretexto de terem alguns de seus submarinos sido atacados por alemães, a ITÁLIA abandona a Alemanha e troca de lado.

Em 1918 ao atacar a França, a Alemanha sofreu um fracasso ao lutar contra 700 mil homens, o que somada às sucessivas perdas austríacas desestabilizou a Tríplice Aliança e o Império Austro-Húngaro.

Diante da derrota o governo assinou o armistício em 11 de novembro de 1918. Neste contexto o imperador alemão Guilherme II abdicou sob forte pressão popular.


O TRATADO DE VERSALHES

Com o final da Guerra e o armistício da Alemanha, os países envolvidos na guerra assinaram na França um acordo que determinaria as sanções e aplicações que a Alemanha sofreria. 
As imposições ficaram estabelecidas da seguinte forma.

Ceder a Álsacia-Lorena e as minas de carvão da bacia de Sarre à FRANÇA.

Devolver a autonomia da Bélgica, Dinamarca, Lituânia e Polônia.

Todas as colônias alemãs foram transferidas para a FRANÇA e a INGLATERRA.

A Alemanha também teve que indenizar os países vitoriosos.

Reduzir seu exército a 100 mil homens.

Foram proibidos de produzir canhões, aviões e artilharia antiaérea.

Os submarinos e navios de guerra foram entregues à Inglaterra, França e Bélgica.
* Todas essas imposições levariam a Alemanha á uma crise econômica sem precedentes e seriam motivos á que ADOLF HITLER alimentaria um Nacionalismo exacerbado e o ódio da população.


AS MULHERES NA GUERRA

DURANTE A GUERRA... as mulheres, que antes, eram submissas aos homens, tiveram a experiência do trabalho e principalmente da liberdade

APÓS A GUERRA... em muitos países, mulheres se tornaram especialistas em serviços industriais, adquiriram autonomia financeira e conquistaram o direito de estudar em universidades.

AS MULHERES ADQUIRIRAM O DIREITO AO VOTO em muitos países

O COMPORTAMENTO das mulheres também mudou, elas passaram a usar roupas mais confortáveis, dispensando aqueles trajes que as tornavam objetos e as faziam parecer peças das casas em que moravam


O BRASIL NA GUERRA?
No dia 5 de abril de 1917, o vapor brasileiro "Paraná", que navegava de acordo com as exigências feitas a países neutros, foi torpedeado, supostamente por um submarino alemão. 



No dia 11 de abril o Brasil rompeu relações diplomáticas com os países do bloco liderado pela Alemanha. 



Em 20 de maio, o navio "Tijuca" foi torpedeado perto da costa francesa. Nos meses seguintes, o governo Brasileiro confiscou 42 navios alemães austro-húngaros e turco-otomanos que estavam em portos brasileiros, como uma indenização de guerra.


No dia 23 de outubro de 1917, o cargueiro nacional "Macau", um dos navios arrestados, foi torpedeado por um submarino alemão, perto da costa da Espanha, e seu comandante feito prisioneiro. Com a pressão popular contra a Alemanha. 

No dia 26 de outubro de 1917, o país declarou guerra aos Poderes Centrais.

CURIOSIDADE PÓS-MODERNA

O fotógrafo canadense Chris A. Hughes comprou uma câmera estereoscópica francesa Richard Verascope de 1914 e encontrou uma bela surpresa: havia em seu estojo dois pacotes de slides com fotos que, ele descobriu depois, foram tiradas por um soldado francês durante a Primeira Guerra Mundial.
http://guiadoestudante.abril.com.br/blogs/divirta-estudando/fotografos-encontram-fotos-da-primeira-guerra-mundial-em-cameras-antigas/

LITERATURA RECOMENDADA

Livro: "A ERA DOS EXTREMOS

O Era dos Extremos: o Breve Século XX: 1914 - 1991 é um livro de História escrito por Eric J. Hobsbawm em 1994 que discorre sobre o século XX, mais precisamente do início da Primeira Guerra Mundial em 1914 até a queda da União Soviética, no ano de 1991.

Eric John Ernest Hobsbawm (Alexandria, então Sultanato do Egito, 9 de junho de 1917 - Londres, 1 de outubro de 2012) foi um historiador marxista britânico (nesse momento a “África era de domínio da Inglaterra por isso tinha cidadania Britânica).
Reconhecido internacionalmente como um dos maiores intelectuais do século XX

Ao longo de toda a sua vida, Hobsbawm foi membro do Partido Comunista Britânico.

Hobsbawm foi figura emblemática, seguro de suas opiniões e referência para a grande maioria dos historiadores sérios de todo o planeta, seu nome ja está gravado na História mundial, infelizmente nos deixou em 2012. Esteja em Paz!

Entrevista de Eric Hobsbawn no Brasil em 1997
http://www.youtube.com/watch?v=K4wKqUGJaso



DIVULGAÇÕES SOBRE A MORTE DE HOBSBAWN

REVISTA VEJA: Maior historiador esquerdista de língua inglesa, Eric Hobsbawn, morto na última segunda-feira, aos 95 anos, foi um idiota moral. Essa é a verdade incômoda que os necrológios, publicados em profusão, quase sempre fizeram questão de ignorar. Marxista irredutível, o talento de historiador, é forçoso dizer, ficará para sempre manchado pela cegueira com que ele se agarrou a uma posição ideológica insustentável.                                 http://veja.abril.com.br/noticia/celebridades/a-imperdoavel-cegueira-ideologica-de-eric-hobsbawm

PORTAL G1: O intelectual marxista é considerado um dos maiores historiadores do século XX e escreveu "A era das revoluções", "A era do capital", "A era dos impérios", "Era dos extremos", entre outras obras. 
Ele também era um entusiasta e crítico do jazz, escrevendo resenhas para jornais sobre o gênero musical e publicando o livro "História social do jazz".



Professor Eliandro






Postar um comentário